Notícias

11 de Jul de 2019

A ciência pode ser usada para negar a existência de Deus? Sacerdote astrofísico responde

O sacerdote e astrofísico espanhol David Alcalde assegurou que a fé e a ciência não se opõem e, por essa razão, "nenhum cientista sério" usaria esta última para "tentar provar que Deus não existe".

"A fé e a razão são as duas asas que nos levam à verdade", disse o cientista, ao recordar a encíclica Fides et ratio de São João Paulo II. Ambas "provêm da mesma fonte: Deus. Por isso, a fé sem a razão é superstição; mas a razão sem a fé está incompleta, torna-se uma ideologia", destacou o também professor do Instituto de Filosofia Edith Stein e do Instituto de Teologia Lumen Gentium.

O sacerdote, que participou do curso de verão "Diálogo Fé-Ciência: A Evolução do Universo, da Vida e do Ser Humano", da Universidade Católica de Valência, assinalou que "nenhum cientista sério pode pretender usar a argumentação científica para tentar demonstrar a inexistência de Deus, já que não é um objeto mensurável através das ferramentas da ciência".

O teólogo e cientista disse que, no entanto, alguns cientistas estão "no alto de um pódio no qual acreditam que observam toda a verdade". Advertiu que esta atitude "limita seu conhecimento da realidade" e citou como exemplo o britânico Richard Dawkins, "que utiliza seu trabalho científico para provar seu ateísmo".

Dawkins, que afirma ser ateu desde a adolescência, afirmou em 2017 a um meio colombiano que "nós viemos da evolução própria da vida e o cosmos tentou explicá-la a partir da teoria da evolução". Também disse que Deus "nunca existiu" e que "devemos pôr fim às crenças religiosas".

"No mundo ocidental, será um processo mais curto, no entanto, nas crenças do Oriente Médio será um trabalho mais extenso", assinalou.

Em sua apresentação, Pe. Alcalde indicou que "a negação de Deus que Dawkins faz não é uma conclusão de sua ciência, mas a suposição da qual parte. Dawkins identifica o Big Bang com a existência de Deus, por isso desenvolveu uma teoria na qual não há Big Bang e, assim, pode negar a divindade".

Conforme informou em 9 de julho a agência AVAN, o sacerdote disse que o pensamento de Dawkins "não se sustenta cientificamente", porque Deus "não é um objeto mensurável, como pode ser a idade do Universo".

Desta forma, as afirmações do cientista britânico "não procedem de uma ciência bem desenvolvida, mas de hipóteses que ele só estabelece como verdades absolutas para negar Deus".

O teólogo e astrofísico lamentou que muitos cientistas tenham uma visão "muito restritiva" da razão, de modo que a razão científica é para eles a única maneira de "obter a verdade".

Segundo esta visão, "tudo o que não é mensurável não existe". No entanto, o sacerdote afirmou que a realidade "se impõe", dado que "existem coisas que não podem ser medidas cientificamente e que são reais. O método científico é restritivo em seu âmbito, mas não pode se tornar a única área da verdade".

Nesse sentido, Pe. Alcalde explicou que a "lenda negra" de que a fé e a ciência se opõem parte da "suposição muito generalizada" de que a fé é algo "irracional, supersticioso, que passada pelo teste da razão, não se mantém de pé. É exatamente o oposto, como João Paulo II assinalou na encíclica Fides et ratio".

"Fé e razão são as duas asas que nos levam à verdade, dizia o Papa. Fé e razão não podem ser contrárias porque provêm da mesma fonte: Deus. Por isso, a fé sem a razão é superstição; mas a razão sem a fé está incompleta, torna-se uma ideologia", assinalou.

Comentários